Palestra sobre Aparições Marianas de Luís Aparício
Data: Domingo, 13 de Fevereiro de 2005 (20:32:11)
Tópico: Aparições Marianas


APARIÇÕES MARIANAS E O FENÓMENO OVNI


O fenómeno Ovni tem como devem saber diversas vertentes ou seja diversas maneiras de se apresentar e de se explicar, uma dessas maneiras é as aparições marianas.
Desde que nos conhecemos como nação essa fenomenologia esteve sempre presente.

Dom Fuas Roupinho andava a caçar veados na Nazaré e um veado na sua fuga não teve outra alternativa senão lançar-se do Sitio da Nazaré, que é uma parede vertical de rocha. Nessa altura Nossa Senhora da Nazaré apareceu ao destemido caçador que perseguia o veado e fê-lo parar antes que também caísse para a morte.


Isto poderá ser uma lenda, mas Portugal está


cheio de ermidas à Nossa Senhora da Luz, Nª Sra do Monte etc. Essas Nossas senhoras tiveram sempre um comum eram senhoras bonitas, tinham mantos brancos e noutros casos azuis, por vezes eram acompanhadas pelos anginhos. Quem não se lembra da celebre representação da Nª Sra da Conceição com anginhos na base. Esta medalha tão caracteristica que muitas senhoras trazem ao pescoço, sem se lembrarem o seu significado é uma das mais emblemáticas maneiras de questionar as aparições marianas.

D. João IV, «o Restaurador», assumiu o poder e declarou solene e oficialmente, Nossa Senhora da Conceição como Padroeira de Portugal

estipulando, como feriado nacional, o dia 8 de Dezembro.

Mas o que são as aparições marianas?

• O que é isso dos anginhos?
• Então a Nª Sra agora desce do céu e traz anginhos?
• O que é a meia-lua ou as nuvens que estão na base da Nª Sra da Conceição?
• Porque é que ela está com as mãos postas?
• Porque é que ela tem um manto azul?
• Qual a sua relação com o os ovnis?

Uma das perguntas que poderemos fazer é: Nós temos necessidade dum novo motor ecologico, dum novo avião antigravitico, dum novo tipo de electrecidade, mas continuamos a matar-nos uns aos outros. Será que não teremos também necessidade duma nova relação com o divino. Será que o divino não se utiliza de certos meios para nos fazer chegar a sua mensagem.
Aparições marianas, quer dizer visões de marias, entidades cujas feições se parecem à maria mãe de Jesus.
Todas as religiões possuem as suas Virgens-Mães, as suas Marias ou Mayas: Adha-Nari, a indiana; Ísis, a egípcia; Astaroth, a hebraica; Astarté ou Haschtoreth, a síria; Afrodite, a grega; Vesta, a romana; Hera, a germana; Ina, da Oceânia; Isa, a japonesa; Ching-mu, a chinesa, etc., etc.
A associação das diversas mitologias religiosas deu aos diversos povos onde se realizou estes eventos a convição de que era algo divino relacionado a particularidade local de crença.
Portugal é prodigo ao longo dos seculos em aparições marianas

Muge 1357 Fátima 1431
Ponte de Lima 1497 Quintã 1590
Castanheira ( Aljubarrota) 1600 Sandim da Serra 1603
Vilas Boas (Torre de Moncorvo)1673 Balugães (Monte Castros) 1702
Cabo da Roca 1800 a 1850 Barral (S.João Vila Chã) 1917
Fátima (Cova Iria) 1917 Bitarães (Chãos) 1928/29
Vila Cova (Lovagueira) V.N.Paiva 1939 Chão das Maias 1947 e 1948
Oriz ( Silvosa) 1946 Vilar Chão 1946
Amareleja ( Chouças) 1950 Asseiceira 1954

Por todo o mundo apareceram inumeras Virgens-Marias ou Nªs Sras:

Os vários fenômenos cuja ocorrência é relatada em locais de aparições podem ser categorizados em quatro tipos básicos:

Fenômenos solares – peregrinos de vários locais de aparições relatam pulsações e aparência multicolorida no sol. Esses fenômenos têm sido filmados e fotografados, levando a crer que são fenômenos físicos.

Curas físicas – muitos peregrinos relatam curas espontâneas de problemas médicos crônicos e também agudos, como o cancro. A ciência médica não tem sido capaz de identificar as causas naturais para muitas dessas curas.

Mudanças de estado – objectos religiosos, como terços dos peregrinos, mudam de cor; imagens têm sido vistas derramando lágrimas, sangrando ou movendo-se. Testes efetuados revelaram diferentes resultados. A análise do sangue e das lágrimas provenientes das imagens indicaram tratar-se, nalguns lugares, de sangue humano e lágrimas humanas, em Akita, a estátua de madeira de Maria começou a produzir um líquido transparente, que lhe escorria dos olhos, como lágrimas. A estátua "chorou" 101 vezes, uma das quais diante das câmaras da TV japonesa, que realizava uma reportagem sobre os eventos místicos em Akita.
Estigmas – alguns videntes têm marcas visíveis semelhantes às do Cristo crucificado. As feridas sangram regularmente (normalmente, às sextas-feiras). Muitos videntes relatam estigmas interiores, que correspondem a cicatrizes externas, mas são sentidos interiormente.

Consciência espiritual – Mas o efeito mais importante dessas ocorrências é o aprofundamento da consciência espiritual e da oração. Dezenas de milhões de pessoas no mundo inteiro têm participado de peregrinações e formado grupos de oração, como resultado directo do fenômeno das aparições marianas. Outro acontecimento é a mudança de cor de rosários.

Vemos assim que por todo o mundo aparece o mesmo tipo de fenómenos religiosos-ovnilogicos.

13 de Maio de 1917 em Fátima.


A 13 de Maio, os pastorinhos guiavam o seu rebanho pela Cova da Iria, quando cortou os ares um relâmpago brilhante. Pensando avizinhar-se uma tempestade, procuraram abrigo junto a um grande carvalho. Um segundo relâmpago voltou a inquietá-los. Viram a seguir um globo brilhante, que pousou sobre uma pequena azinheira, diante deles. Ao centro da luz divisaram uma belíssima Senhora, com as mãos postas sobre o peito, em posição de prece. "Era uma Senhora vestida de branco, mais brilhante que o Sol, derramando uma luz mais clara e intensa que um vaso de cristal cheio de água cristalina, atravessado pelos raios do sol mais ardentes. Seu semblante era bonito e sério. Da mão direita pendia um rosário. As vestes pareciam feitas de luz". Nossa Senhora disse, em voz melodiosa e suave:
"Não tenham medo; não quero fazer-lhes mal".
Lúcia perguntou: "De onde vem a Senhora?"
Nossa Senhora respondeu: "Minha cidade é o Céu". E pediu: "Rezem o Terço todos os dias, para alcançarem a paz para o mundo e o fim da guerra."
Depois a visão começou a elevar-se serenamente, subindo em direção ao nascente, circundada de vivíssima luz, até desaparecer no espaço. A luz que a circundava parecia abrir-lhe caminho através dos astros (por isso, as crianças disseram que viram "abrir-se o Céu").
A 13 de Outubro de 1917, a Senhora identificou-se como a Senhora do Rosário. Chovia há algumas horas. Uma incrível multidão (cerca de 70.000 pessoas) comprimia-se na Cova da Iria desde a noite anterior. Nossa Senhora disse:
"Eu sou a Senhora do Rosário. Quero que se construa aqui uma capela em minha honra e que continuem a rezar o terço todos os dias. É necessário que os pecadores se emendem, que peçam perdão dos seus pecados." E com um ar muito triste, continuou: "Não ofendam mais Nosso Senhor, que já está muito ofendido." Depois, Nossa Senhora, abrindo as mãos, fê-las refletir no sol. E, enquanto se elevava, continuava a refletir a sua própria luz no sol. Naquele momento, a chuva cessou, as nuvens se espalharam e o sol apareceu aos olhos da multidão. Este (o sol) tomou a forma e a cor de um disco prateado que não feria a vista. Começou a girar vertiginosamente em torno de si mesmo, como uma roda de fogo, expedindo raios que tingiam de cores brilhantes e diferentes as árvores, as montanhas e a multidão. Depois, num instante, pareceu parar no firmamento e precipitar-se na terra; três vezes desceu até a linha do horizonte, ameaçando cair sobre a terra.
O milagre foi observado de até 40 km de distância, em muitas aldeias. Muitos gritavam: "Ó, meu Deus, tem piedade de mim. Não me deixes morrer nos meus pecados! Virgem Maria, protegei-me, é o fim do mundo!" O prodígio durou 10 minutos. Ao levantarem-se, todos perceberam que suas roupas estavam perfeitamente secas. Muitos milagres de curas verificaram-se nessa ocasião.
Mais recentemente, no Brasil cerca de 5.000 pessoas que aguardavam a aparição de Maria, viram Ovnis darem shows nos céus de Baturité, Ceará, na Serra da Beleza, Sítio Labirinto. Nessa ocasião, José Ernani dos Santos, declarou ter visto e conversado com um “ser de luz”, que apresentou-se como sendo a Virgem Maria.
No dia 5 de novembro de 1994, no clímax da expectativa, diversos ovnilogistas fotografaram quatro ovnis camuflados. Três deles estavam enfileirados e o outro, afastado, mostrava ser discoidal, sólido, metálico e bem delineado. Desse último escapava um tipo de fumaça. Os objetos estavam parados, como se observassem o acontecimento, ou talvez provocassem o fenômeno. As nuvens deslocaram-se deixando à mostra os objetos que eram autênticos discos voadores. Paulo César Távora, do CPU (Centro de Pesquisas Ufológicas) trouxe para o local detectores de campos energéticos (eletromagnéticos, eletrostáticos e infravermelhos) e pôde verificar que o campo eletrostático confirmou a presença de forte eletricidade estática no local (10 pulsos p/seg). hà teorias que dizem as apariçoes poderão serem projecções holográficas.
Outra descrição deste fenómeno mas em 10 de outubro de 1994: Naquele dia a equipe do Centro de Pesquisas Ufológicas (CPU) foi até o local averiguar se realmente aconteceria o que o beato José Ernani dos Santos pregava: que a Virgem Maria desceria do céu e benzeria a todos. Além do CPU, 6.000 pessoas, munidas de terços, Bíblias e outros livros católicos, aguardavam a vinda de Nossa Senhora. De acordo com Ernani, a Virgem apareceria às 14:00 h. Faltando dois minutos para a hora marcada, nuvens escuras de chuva inexplicavelmente dirigiam-se para o local determinado para a aparição, levadas talvez pelo vento e encobrindo parte do cenário.
Duas delas - as maiores - juntaram-se numa só, negra e carregada, que escondeu totalmente o Sol. Uma brisa agradável tomou conta do lugar, o que fez com que todos rezassem e gritassem histericamente, pedindo à Virgem perdão para seus pecados. Pelas frestas das nuvens, o Sol irradiava raios multicoloridos e um círculo prateado formou-se ao seu lado. Ernani, ajoelhado, escrevia a mensagem que, segundo ele, estaria sendo ditada por Maria. Cinco minutos depois tudo voltou ao normal e no céu, bastante visível, via-se na verdade um disco prateado do tamanho da Lua. (Lembram-se da meia lua na imagem da Nª Sra Da Conceição – haverá alguma relação).
Os pesquisadores Paulo Távora e Hélio Loyola fotografaram 4 UFOs camuflados que, pela distância, pareciam ter cerca de 30 m de diâmetro. Três deles estavam enfileirados e pouco claros, enquanto outro apresentava-se mais nitidamente na forma discoidal, metálico, sólido e bem delineado. Este liberava uma espécie de fumaça na parte esquerda. A maquina fotografica do CPU somente conseguiu captar 3 colunas de alguma coisa semelhante a poeira, provenientes detrás de duas palmeiras onde a Virgem deveria estar, na suposição do beato. Os objetos no céu talvez observassem o fenômeno ou o estivessem provocando. O fato é que algo impressionante aconteceu na pequena cidade de Baturité - algo além da tremenda e sincera devoção do sofrido ordestino.
Paulo César Távora, do CPU (Centro de Pesquisas Ufológicas) espalhou no local detectores de campos energéticos (eletromagnéticos, eletrostáticos e infravermelhos) e pôde verificar que o campo eletrostático confirmou a presença de forte eletricidade estática no local (10 pulsos p/seg). Segundo as pesquisas, existem fortes indicações de que muitas das aparições sobre outeiros ou pedras podem tratar-se de imagens holográficas.
Raimundo Lopez, de Minas Gerais, e Marcos Tadeu, de Jacareí, São Paulo. Através desse último, a Virgem Maria tem enviado sinais a seus fiéis, e na tarde de 7 de setembro de 1994, mais de 300 pessoas viram o Sol girar no céu, fazendo pequenos arcos (como em Fátima) e, à noite, na casa do jovem vidente, muitos afirmavam ter visto a Lua minguante (outra vez a Nª Sra da Conceição – Padroeira de Portugal, com a meia lua) desenhada na horizontal, como as que são vistas nas estampas da Virgem Imaculada da Conceição. Nessas ocasiões os presentes fazem perguntas e Maria responde. Marcos Tadeu garante que não é o único em Jacareí. Há outras pessoas em contato directo com a virgem.
- Aromas agradáveis, mel que pinga de um quadro de Maria e materializações instantâneas de cristais vêm sendo analisadas, há anos, por cientistas da Unicamp.
- A imagem de “Astarel”, ser de Sirius, impressa em um pano de linho e em uma medalha materializada no “Santuário da Luz” e a de Maria, registrada nas aparições de Natividade, cidade do Estado do Rio de Janeiro, possuem notável semelhança.

A SANTA DA LADEIRA

Este nome é logo associado a uma religiosidade de baixo nivel e credentices, dignas de pacóvios. Desde sempre os nossos meios de comunicação social, trataram muito mal esta questão, dando sempre a entender que era uma simples questão duma campónia que andava a tratar das vacas e ia apanhar a erva para os coelhos.
Aquilo que recolhi e as inúmeras pessoas com quem falei, deram-me uma visão bem diferente. O Pablo e o Nuno estiveram a falar com o Ex Sargento da GNR Manel Barata que em em Agosto de 1966, exercia as funções de Comandante do Posto do Entroncamento.
Este GNR, fez menção de que o Arcebispo de Mitilene, D. António Castro, que esteve em Lamego ao ser confrontado com as alegações dum médico que tinha havido uma cura inexplicável numa doente que ele tinha acompanhado, disse-lhe “Não abra a boca sobre a cura dessa doente, o que interessa é mandar para lá a Polícia e escavacar tudo”. Isto no ano de 1968. Aconteceu uma vez que este Sargento não tinha homens para vir para a Ladeira, visto ter dispensado todos para os Jogos de Futebol que se realizavam no Entrocamento e em Torres Novas. Então veio ele sozinho para junto da igreja onde estava a Maria da Conceição.
Ele identificava as pessoas presentes e logo a seguir dizia-lhes “ olhe a sra ou o sr. Tem que se ir embora e se eu o apanho cá mais alguma vez, já sabe vai preso” .
Houve uma mulher que lhe disse - oh! Sr Guarda, aqui fazem-se tantos milagres, deixe-me ficar – o sargento Manuel Barata disse-lhe, olhe se aqui se fazem milagres, pois eu nunca vi nenhum. A Maria da Conceição estava ali ao lado e ele vê que algo invisível a empurra com toda a força, ele vê o nariz e a cara enfiarem-se pelas pedras afiadas adentro, tendo ficado imensamente assustado, não só pensando nas consequências dos ferimentos que a M.C. teria, mas também pelo barulho enorme da queda daquele corpo ao seu lado.
Logo a seguir a M C levanta-se e ele nota que ela não tinha nem sequer um arranhão nem qualquer vestígio de sangue. A partir desse dia toda a sua atitude mudou.
Essa GNR também presenciou em 13 de Maio de 1968 às 16 horas um espectaculo no céu com o sol emanando cores amarelas e chovendo rosas. Segundo ele havia três camadas, uma em grande altitude que eram estrelas em movimento (de dia) e faziam pequenos
circuitos, depois havia uma segunda camada que era maravilhosa (palavras dele) era feita duma espécie de balões coloridos (todas as cores), que nasciam num certo sítio e percorriam todo o espaço e depois desapareciam, mais pareciam bolhas de sabão, por fim havia uma terceira camada, mais baixa com cerca de 10 metros de altura, com petalas brancas dum perfume intenso, que tinham movimentos erráticos, umas iam para a esquerda outras iam para a direita e iam caindo junto às pessoas. Igualmente foram vistos terços completos com a cruz em movimento que caíam junto à Maria da Conceição.
Outros testemunhos falam que a MC, em 12 de Junho de 1968 foi vista a subir no ar às 12,30 horas, sempre a subir até desaparecer, depois foi vista a descer às 15 horas, de cabeça para baixo e entrou por uma janela que estava aferroalhada por dentro e foi depositada na cama, tendo ficado com os pés para a cabeceira da cama.
Se isto for verdade e quem somos nós para duvidar desta cena, não será muita parecida, aquilo que está a acontecer hoje em dia nas abduções.
A abduzida é elevada ao ar através dum feixe de luz azul, depois volta ao mesmo local, passando através das janelas ou paredes e é depositada no mesmo local. Ás vezes os cinzentoas erram e deixam as pessoas ao contrário e com o pijama vestido ao contrário, ou as abduzidas são deixadas no quintal, quando inicialmente estavam na cama a dormir.

Outra cena que este ex comandante da GNR do Entrocamento presenciou, foi a chuva de hostias, chegando a ser contadas cinco mil hostias, com diferentes figuras. (Será que este fenómeno poderá ser explicado pelo parapsicologia, com a translocação de objectos, lembro-me que HENRIQUE JOSÉ DE SOUSA fundador da EUBIOSE no Brasil, fez vir dum museu uma bandeira antiga e depois devolveu-a ao mesmo local, estando ele simplesmente sentado numa cadeira na conversa com outras pessoas).

A M.C. tinha diversos estigmas, que ao contrário do Bom Giovani cheiravam bem.
O rol de acontecimentos misteriosos na Meia-Via em Torres Novas estende-se, muito longe, em Novembro de 2003, três meses depois da M.C. morrer, numa das celebrações da eucaristia ortodoxa, foi vista um borboleta branca, muito grande a esvoaçar dentro da igreja tendo desaparecido tambem dentro da propria igreja. Uns anos antes, foi vista uma pomba enorme, com mais de um metro poisada perto da Igreja nova.


ASSEICEIRA em RIO MAIOR




Luis Aparicio entrevista Adelaide Maria Filipe Narciso

Em 16 de Maio de 1954 Carlos Alberto Delgado frequentava a escola primária e a professora disse-lhe para eles rezarem muito para terem boas notas. Ele e um colega, com vergonha dos outros vinham rezar para forada escola onde estava um loureiro (ainda hoje existe), esse local também era usado como retrete pelos miudos da escola. Quando estava nas suas orações ouviu um ramalhar no loureiro e o colega e ele fugiram.

Então pode ver que a imagem duma senhora muito linda lhe disse " Não temas eu sou a mãe do redentor". O Carlos Alberto voltou para trás e ela disse-lhe que viria ali todos os meses e que era preciso rezar o terço, era então 16 de Maio de 1954 ás 13.23 horas.
Todos os dias 16, de Junho até Dezembro logo ao nascer do sol, este apresentava-se a rodar intensamente e a emitir raios de diversas cores.

Todas as noites de 15 para 16 a seguir a Maio, portanto de junho inclusivé até Dezembro, durante a noite eram vistas luzes movimentando-se rapidamente no ceu escuro (muito parecido a Zeitoum no Egipto).

Na última aparição a 16 de Dezembro o sol às 14.23 horas irradiava uma cor amarela e tudo e todos estavam amarelos, as pessoas diziam umas para as outras " olha tu estás toda amarela", as paredes e as arvores estavam amarelas.







A Guarda Republicana veio em força impedindo e agredindo muita gente. Eram dezenas de milhares de pessoas que se aproximavam da Asseiceira. Gentes que apareciam de todo o lado, cheias de lama nos sapatos e no vestuário, porque vinham por aqueles campos, devido às estradas estavam bloqueadas pela GNR.
A 16 de Dezembro algo se passou muito importante que dá para mais uma vez afirmar, estamos perante o mais importante caso de uma aparição mariana na Terra.
A GNR levava a espingardas Mauser e aqueles soldados que estavam mesmo perto do altar feito vidente, quando se aproximou as 13.23 horas, tinham as armas consigo ao ombro e aconteceu que as espingardas lhe foram retiradas e lançadas por terra. De referir que ninguém se aproximou dos soldados e lhe retirou a arma, nem muito menos os soldados lançaram as armas para o chão. Perante aquele acontecimento aqueles soldados, abandonaram o local e dirigiram-se para o seu graduado dizendo "olhe, castigue-me mas para ali é que eu não vou mais" e abandonaram a periferia do altar, onde estavam as luzes, a figura da senhora pequenina da senhora e houve quem tivesse também visto os anjos. Lá em cima o sol emitia uma luz amarela que banhava tudo e todos.
A igreja católica recebeu muito mal tudo o que passou na Asseiceira, dando a entender que não queria concorrências com Fátima, emitindo inclusive uma nota pastoral desaconselhando tudo aquilo referente à aparição da Asseiceira.
Também tivemos a possibilidade de entrevistar a viúva do vidente Carlos Alberto (Célia Ribeiro) que nos contou alguns pormenores da sua vida. Soubemos que o Padre Armando recusou-se a casar o vidente, também os filhos do casal tiveram que ir ser baptizados a Alpiarça, devido à recusa do referido pároco.

Este pároco disse aos noivos que só os casaria se o Carlos Alberto se se retratasse, quer isto dizer se o vidente dissesse que aquilo que tinha visto era mentira. O vidente Carlos Alberto sempre dizia que ia morrer novo e quando nasceu o seu primeiro filho disse à esposa, vamos só ter mais um filho, fica um para ti e um para mim. Assim aconteceu com 37 anos de idade teve um acidente de automóvel no qual morreu, sendo seguido poucos dias depois pelo filho. Ficou assim a viúva e a filha. O vidente afirmou que a Senhora lhe tinha dito um segredo mas ele nunca chegou a revelar.
Outros episódios caricatos como o referido padre Armando, recusar-se dar a comunhão às pessoas que viessem rezar o terço à capela que está à frente do Loureiro.
Na referida aparição a Senhora terá dito para ali se rezar o terço todos os dias. Assim o Carlos Alberto gravou para uma cassette o terço. Na altura do terço, toda a gente acompanhava-o quando ela estava presente. Quando ele não podia ir à capela era reproduzida a referida cassette para os presentes acompanharem.
Outras pessoas que contactamos ainda se recordam muito bem do que se passou. Parece que as pessoas de fora da Asseiceira viram mais pormenores do que as pessoas da localidade.
Quase toda a gente viu as velas acesas no altar, e ainda encontramos uma senhora que viu o que ela chama de "anjo da guarda" (foto abaixo). Outras pessoas viram também a senhora do manto azul no altar.
Seomara da Veiga Ferreira, retratou muito bem esta aparição mariana, e considero dos mais bem escritos livros sobre a Asseiceira. O livro está completamente esgotado e chama-se Aparições em Portual do Seculo XI a XX – Emissários do desconhecido.
Logo no inicio do livro vem uma descrição duma cena em 1661 no Tibete.
«Filho, aquilo que viste não é magia: são seres de outros mundos, que desde à seculos sulcam os espaços (….) Estes seres, todos luz, são bem acolhidos por nós e muitas vezes descem perto dos nossos mosteiros, ensinando-nos coisas perdidas no decurso dos milénios, durante os cataclismos que mudaram a forma do mundo» Relato do Jesuíta Alberto d’Orville em Lhassa.
Atenção a esta afirmação «todos luz» num livro que estou a ler, existem inumeros relatos de encontros com humanoides aqui na Terra que emitem luz.

Hoje vou parar aqui, porque este tema, tem pernas para andar, iremos tratar outros casos, iremos passar um video sobre a Águas de Pau nos Açores em 1988, temos diversas gravações de som na Asseiceira e Santa da Ladeira.
Há que analisar os fenómenos adjacentes da exploração comercial, nos diversos locais, assim como tomar conhecimento sobre o recrutamento de membros que coadjuvam os videntes, que por vezes, são colocados em autênticas prisões, comportando-se como autênticas seitas. Como dizia o meu amigo Antonio Rodrigues, vice-presidente do CECOP, todas as organições boas tem o seu quê de mau, e todas as organizações más, tem alguma coisa de bem.



Pablo Villarubia Mauso entrevista Adelaide Maria Filipe Narciso










DATA LOCAL VIDENTES / MÍSTICOS OCORRÊNCIAS

1953 Sabana Grande, PR Barrio Rincon (visões Marianas e profecias)
1954 Dayton, OH Ir. Mil. Neuzil (visões Marianas)
1976 Betania, VZ Maria Esperanza (aparições Marianas)
1980 (?)Paulina, LA Pe. Albert Hebert (visões Marianas e profecias)
1980 Cuapa, NIC Edward Martinez (aparições Marianas)
1981 Worcester, MA Eileen George (visões de Jesus)
1982 Cankton, LA Genevieve Huckady (aparições Marianas)
1983 San Nicolas, ARG Gladys Quiroga (estigmas e visões) Marianas
1983 Penablance, CH Miguel Poblete (visões de Jesus e Maria)
1984 Guatemala Carmen (mensagens) Marianas
1985 Cleveland Maureen Sweeney (locuções e profecias)
1986 Michigan Mariamante (visões Marianas)
1986 Santa Fé, NM Vange Gonzales (visões Marianas)
1987 Conyers, GA Nancy Fowler (aparições Marianas, fenômenos)
1987 Terra Blanca, MX Elba e Zendia (visões Marianas)
1987 El Ranchilo, TX Bro. David Lopez (aparições Marianas e profecias)
1988 Phoenix, AZ Estella Ruiz e família (aparições Marianas e profecias)
1988 Lubbock, TX Mary Constancio (mensagens Marianas)
1988 El Cajas, EQ Pachi Borrero (aparições Marianas)
1988 Scottsdale, AZ Pe. Spaulding e 6 (visões e locuções de Jesus e Maria)
1989 Marlboro, NJ J. Januszkiewicz (mensagens de Maria, luzes e pombas)
1990 Hillside, IL Joseph Reinholtz (visões e locuções)
1990 Santa Maria, CA Carol Nole (locuções e fenômenos solares)
1991 Lake Ridge, VA Pe. James Bruse (imagem de Maria que chora; estigmas)
1991 Denver, CO Veronica Garcia (visões de Jesus e Maria)
1992 Steubenville, OH Tony Fernwalt (visões e profecias)
1993 Belleville, IL Ray Doiron (locuções)
1994 Hollywood, FL Rosa Lopez (visões Marianas)
1994 Emmitsburg, MD Gianna Sullivan (locuções de Maria)
1960 Balestrino, França Caterina Richero (visões)
1960 Turzovka, Tchecoeslováquia Matous Lasuta (visões e profecias)
1961 Garabandal, Espanha 4 meninas da aldeia (aparições, comunhões místicas, curas e profecias)
1962 Janonis, Lituânia Ramute m-Mapiukaite (visões)
1964 San Damiano, Itália Rosa Quattrini (visões)
1966 Montichiari, Itália Pierina Gilli (visões e profecias)
1966 Port San Stefano, Itália Enzo Alocci (locuções e profecias)
1968 Zeitun, Egito Farouk Atwa+200 th. (aparições de Maria sobre o domo da Igreja Copta de Santa Maria fotografadas, gravadas e transmitidas na TV)
1968 San Damiano, Itália Carmella Carabelli (visões e profecias)
1969 Akita, Japão Sr. Agnes Sasagawa (visões, profecias, estátua de Maria que chora e sangra)
1970 Vladmir Pr., Ucrânia Josyp Terelya (visões e profecias)
1972 Milão, Itália Pe. Stefano Gobbi (locuções e profecias)
1973 Belgrado, Iugoslávia Julka (visões e profecias)
1974 Putot-en-Auge, França Madeleine (locuções e profecias)
1975 Calábria, Itália Ir. Elena Aiello (visões e profecias)
1975 Binh Loi, Vietnam Stephen Ho Ngoc Ahn (visões, curas, transportes)
1978 Chiang Si, China (várias testemunhas) aparições
1980 El Escorial, Espanha Amparo Cuevas (estigmas, visões e profecias
1981 Kibeho, Ruanda seis adolescentes aparições e profecias)
1981 Medjugorje, Croácia 6 crianças da aldeis (visões, locuções, profecias, curas, fenômenos solares e com terços)
1981 Roma, Itália João Paulo II (visão e fenômenos solares)
1982 Eisenberg, Áustria Aloisia Lex (visões e cruz permanente de grama)
1982 Damasco, Síria Maria al Akharas (locuções, óleos perfumados, curas)
1985 Naju, Coréia Julia Kim (visões, imagens, exudação de óleo, milagres eucarísticos e profecias)
1985 Oliveto Citra, Itália 12 crianças (visões, profecias e aroma de rosas)
1985 Melleray, Irlanda Ursula O'Rourke (visões, profecias e estátua e Breda Coleman movente de Maria)
1986 Montanha Azul, Áustria Paul (visões e imagem movente de Maria)
1986 Cameroon, África 8 crianças (visões e curas)
1987 Inchigella, Irlanda Rosemary O'Sullivan (coluna de luz e visões)
1987 Hrushiw, Ucrânia Maria Kizyn (visões)
1987 Roma, Itália Ir. Anna Ali (visões e profecias)
1988 Gortnodreha, Irlanda Christina Gallagher (visões, profecias e estigmas)
1988 Cachiche, Peru vários paroquianos (imagem de Nossa Senhora de Lourdes que chora
1989 Zarvanystya, Ucrânia Chornij Zenovia (visões)
1989 Burlington, Ontário Zdenko Singer (visões e profecias)
1990 Litmanova, Eslováquia Ivetka Korcakova e Katka Ceselkova (visões e profecias)
1993 Nova Gales do Sul, Áustria Matthew Kelly (locuções)
1994 Roma, Itália Marisa Rossi (visões, mensagens e milagres eucarísticos)






Artigo de Associação de Pesquisa OVNI - APO
http://www.apovni.org/

O link deste artigo é:
http://www.apovni.org/modules.php?name=News&file=article&sid=127